QUEM COMEÇOU A RODA

A roda dos encontros foi iniciada com um grupo de professoras efetivas da rede pública municipal, que acreditam na educação infantil como espaço de luta e resistência em busca de uma infância diferente. Uma educação infantil onde as diferenças sejam afirmadas e tornem-se o mote das práticas educativas, possibilitando talvez a abertura de caminhos coletivos e solidários entre todas e todos.

Dacy_edited.jpg

Dacy Laranjeira dos Santos

É professora efetiva da rede municipal de Porto Seguro-Ba há 11 anos, com formação inicial em Pedagogia, atua em turmas de Educação Infantil na Escola Municipal Cantinho da Paz no Bairro Baianão.

“Os encontros foram ricos, prazerosos e superou minhas expectativas, pois cada uma de nós tivemos a oportunidade de expor sobre nossas experiências e vivências do nosso cotidiano e também fomos ouvidas em nossas angústias. A pesquisadora expôs com precisão e conhecimento todos os temas abordados e a todo tempo nos incentivando a prosseguir apesar das angústias. Apesar dos encontros terem ocorrido nos sábados pela manhã, depois de uma semana de trabalho com nossos pequeninos que com certeza é cansativa, mas todas nós que fomos aos encontros nos prontificamos a continuar os estudos em outros momentos porque foi de grande importância para refletirmos nossas práticas. Eu particularmente me sinto lisonjeada por ter sido convidada pela pesquisadora” (Profa. Dacy, Escrita Livre, 14/12/2019).

Daniela_edited.jpg

Daniela Santos Alves

É professora efetiva da rede municipal de Porto Seguro-Ba há 11 anos, com formação inicial em Pedagogia, atua em turmas de Educação Infantil na Escola Municipal Vitória Parque no Bairro Parque Ecológico.

“Os encontros foram importantes para o crescimento como profissional da educação, a cada encontro era um tema novo, discussões novas, que serviam para me atualizar sobre infância e sobre criança. Foi uma experiência muito gratificante, enriquecedora e que me deu ânimo para começar a tentar um mestrado, as vezes nos sentimos desmotivadas e com vontade de parar de estudar, mas quando eu recebi o convite (por sinal muito educado) não pensei duas vezes. E com isso, minha vontade de estudar voltou, sei que ninguém motiva ninguém, mais esses encontros me motivaram, estou agora com as forças renovadas, a experiência foi muito boa, eu chegava de cada encontro maravilhada com os conteúdos e discussões. Espero que continue, pois eu não quero desistir” (Profa. Daniela, Escrita Livre, 14/12/2019).

Isalmira.jpg

Isalmira Aída Hervan S. de Oliveira

É professora efetiva da rede municipal de Porto Seguro-Ba há 25 anos, com formação inicial em Pedagogia, atua em turmas de Educação Infantil na Escola Municipal Recanto de Apoio Criança Feliz no Distrito de Trancoso.

“A aprendizagem não começa de forma isolada, ela não pode se limitar aos aspectos psicológicos, é preciso considerar outros aspectos como valores, interesses, experiências, culturas e escolhas. Penso hoje que a função da escola pública deve ser possibilitar o acesso a emancipação humana através da construção de saberes. Quando a colega professora Valdirene (Teka) me falou sobre sua pesquisa e o tema que iria abordar, me encantei na hora, pois as palavras criança e infância na minha concepção são singulares e contemplam significados específicos para cada um de acordo com sua cultura. Nossos encontros foram muito significativos para minha vida profissional e pessoal, nossas discussões algumas vezes muito acaloradas, porém muito ricas de experiências vividas, que por muitas vezes não percebíamos a hora passar. O encontro que tivemos com a Profa. Dra. Eliana Póvoas foi muito elucidativo e me fez repensar as minhas práticas até então, desconstruindo muitas delas. Através desse grupo de estudos pude ter a certeza que o conhecimento não é acumulativo, já que determinados saberes conquistamos, outros são remodelados ou superados. O que fica é que para ensinar a criança é preciso trabalhar com ludicidade, pois estimula a sensibilidade, valoriza e respeita a cultura popular, exercita a imaginação e criatividade“ (Profa. Isalmira, Escrita Livre, 14/12/2019).

Larice_edited.jpg

Larice Pinheiro Bahia

É professora efetiva da rede municipal de Porto Seguro-Ba há 18 anos, com formação inicial em Pedagogia, atua em turmas de Educação Infantil na Escola Municipal Tio Patinhas no Centro.

“Durante esses encontros aprendi muito, foi de extrema importância para minhas reflexões e principalmente em relação as diferenças, tema que me incomoda por vivenciar constantemente na prática da sala de aula. A partir dos temas discutidos em cada encontro, foi possível principalmente refletir a minha prática como professora de educação infantil e como mãe, e acima de tudo pensar estratégias para uma efetiva mudança nas minhas atitudes e ações” (Profa. Larice, Escrita Livre, 14/12/2019).

Luciana_edited.jpg

Luciana Melo Felix

É professora efetiva da rede municipal de Porto Seguro-Ba há 13 anos, com formação inicial em Pedagogia, atua em turmas de Educação Infantil na Escola Municipal Tio Patinhas no Centro.

“Ao receber o convite para participar dos encontros, convite este feito pela orientanda Valdirene, notei que era algo que me acrescentaria a respeito de saberes/fazeres, e esse pensamento foi se concretizando à medida que participava dos encontros. Encontros esses, que aos poucos foi moldando os meus pensamentos e, assim enriquecendo o meu vocabulário, não só o vocabulário, mas a maneira de como lidar com meus alunos e ao mesmo tempo me preparar com mais bagagem para receber o novo público no ano seguinte. No presente momento posso afirmar que aprendi muito com as colegas (trocas de experiências vividas na sala de aula). Falando em “Infância, poder e resistência, ao meu ver vejo que ainda temos muito que lutar para que as nossas conquistas façam valer a pena” (Profa. Luciana, Escrita Livre, 14/12/2019).

Maristela.jpg

Maristela de Azevedo Cordeiro

É professora efetiva da rede municipal de Porto Seguro-Ba há 15 anos, com formação inicial em Filosofia, atua em turmas de Educação Infantil na Escola Municipal Zeca Passador no Distrito de Arraial D’ajuda.

“Para mim, os encontros para estudo sobre a educação infantil foram de grande proveito, pois possibilitou a aquisição de novos conhecimentos por meio de leituras, discussões acerca de textos, compartilhamento de experiências com colegas, entre outras atividades. Além disso, oportunizou a aprendizagem da educação infantil sobre novos conceitos, através da visão de sociólogos, psicólogos e pedagogos que discutem o ensino e aprendizagem sobre um novo viés, estimulando o pensamento crítico e inovador aos professores em busca de uma metodologia eficaz para este nível de ensino” (Profa. Maristela, Escrita Livre, 14/12/2019).

Suzy_edited.jpg

Suzy Soares de Matos

É professora efetiva da rede municipal de Porto Seguro-Ba há 17 anos, com formação inicial em Pedagogia, atua em turmas de Educação Infantil na Escola Municipal Zaidy Barreto no Distrito de Trancoso.

“A proposta do encontro com professoras e professores de várias escolas, montando um grupo de com professoras e professores da educação infantil, proporcionando uma discussão sobre suas vivências em sala de aula e ao mesmo tempo debater e refletir sobre estas experiências baseadas em leituras de onde os temas foram sugeridos pelas participantes, o que proporcionou um leque de depoimentos que vieram enriquecer os encontros, possibilitando o grupo autoreflexão sobre as ações em sala de aula.  Sendo assim, encontros neste formado tendem ampliar a visão dos professores e professoras em relação ao tema proposto e ao mesmo tempo mostrou a cursista um pouco da realidade de Porto Seguro na modalidade de educação infantil do que tem de bom e do que precisa melhoras. Em relação às professoras ficou claro o que podemos melhorar, mas consciente dos obstáculos que são muitos, porém se objetivo é uma educação de qualidade, os obstáculos são apenas obstáculos que através do conhecimento junto a prática ele se torna uma superação” (Profa. Suzy, Escrita Livre, 14/12/2019).

Planejamento%209_edited.jpg

Valdirene Contarato Pereira

É professora efetiva da rede municipal de Porto Seguro-Ba há 23 anos, com formação inicial em Pedagogia, mestranda do Programa de Ensino e Relações Étnico-Raciais da Universidade Federal do Sul da Bahia – UFSB/PPGER/CSC.

“Movida pelo sonho de pesquisar o campo da educação infantil para pensar as infâncias e as crianças, tive o privilégio de produzir esse trabalho em parceria com minhas colegas de profissão. Para mim, os encontros foram momentos singulares de compartilhamento de saberes, experiências, inquietações, alegrias e afetos. Agradeço a oportunidade pelo aprendizado que ocorreu em cada encontro, sempre retornava para casa com as forças renovadas e com uma imensa alegria em ter a oportunidade de estar ao lado de professoras competentes e comprometidas com as crianças, com as infâncias e com a educação infantil pública municipal. Em meio as minhas inseguranças e limitações, fui acolhida de uma forma muito bonita e respeitosa, acredito que conseguimos construir um espaço não apenas de pesquisa, mas um espaço de vidas. Espero que esse coletivo que aqui se inicia continue produzindo conversas em parceria e solidariedade, continuaremos juntas ensaiando possibilidades de pensar uma infância diferente, um mundo diferente, em que as diferenças não sejam apenas toleradas, mas sim, afirmadas”. (Profa. Valdirene (Teka), Escrita Livre, 14/12/2019).

Eliana.jpg

Eliana Póvoas Brito

É professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Estado e Sociedade (PPGES) e do Programa de Pós-Graduação em Ensino e Relações Étnico-Raciais (mestrado profissional) onde pesquisa e orienta trabalhos situados no campo do currículo e das políticas educacionais. É coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Ensino e Relações-Étnico-Raciais do Campus Sosígenes Costa (PPGER/CSC/UFSB). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Formação Docente, atuando principalmente nos seguintes temas: políticas educacionais, formação de professores/as, currículo e diferenças.

"Cantigas e brincadeiras infantis, me encantam! Por mais que o tempo passe e pareça querer que delas eu me distancie, elas insistem e retornam com força e amorosidade. Quando pensava não mais saber as letras e os movimentos brincantes das cantigas e brincadeiras infantis, chegaram os filhos e, com eles, o reavivamento da infância que tive e a atualização das infâncias que tiveram O tempo passou... os filhos que me permitiram rememorar a (minha) infância, também me fizeram conhecer outras cantigas e brincadeiras que marcaram suas infâncias. Época essa em que as cantigas ecoavam em casa, mas também na escola com as crianças. Novamente, o tempo passa... netas e netos me colocaram e colocam na roda novamente! Correlato a este tempo, eis que chega Teka e seu engajamento, compromisso e alegria com a educação infantil. Não resisti! Entrei na roda porque, na verdade, penso eu, que dela, nunca saí". (Profa. Eliana, Escrita Livre, 15/05/2020).

Maristela%205_edited.jpg
Maristela%209_edited.jpg